Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

thefallenangel

thefallenangel

01.02.06

1- Recanto escondido da saudade


Angel-of-Death

DSC_2321.JPG


Sinto saudades do teu olhar, da maneira como me olhas, saudades do teu toque, da maneira como me tocas.
Nunca te vi, e no entanto os nossos olhares já tantas vezes se cruzaram, e tu nunca me viste, nunca realmente. Nunca soubeste calar o teu descontentamento, nem nunca consegui saber o que fazer, não havia nada de errado comigo, e acho que esse era o problema.
Faltava o vilão na tua vida, aquele homem que te tratasse mal, como eu nunca fui capaz. Agora que tudo passou, não posso deixar de lembrar, de pensar em ti, sim, porque ainda penso, apesar de tudo ter terminado, sem sequer ter começado, e tudo o que queres de mim agora, só um dia te pude dar.
A urgência da minha paixão não conseguiu esperar por ti, e tu nunca soubeste dizer-me o que estava errado.
O peso do meu amor ardente, assustou-te, fugiste de mim sempre que podias, procurando-me no frio da noite. Mas para mim nunca chegou, nunca realmente te vi, nem tu me viste a mim, não foi possível, não foi preciso, não foi o momento certo, nunca foi, e apesar de tudo, o momento ideal.
Deixei-te escapar por entre os dedos, eras areia, água, vento, algo que não consegui controlar, não consegui dominar.
Foste tu quem me viu e não eu, mas fui eu quem não te conseguiu ver. Nunca consegui, talvez por não ter tentado, talvez eu nunca me tenha mostrado.
E no final, nada sobrou. Mas valeu, valeu pelo final e pelo início, pelo meio, pelas noites frias, histórias inacabadas, lágrimas perdidas. Valeu por um beijo e mais um milhão, valeu por mim e por ti, mas nunca valeu por nós.

By: Angel-of-Death
In: Saudades daquilo que nunca fui

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.